Certa vez, no segundo dia de um evento, estava eu naquela missa: confere a sala da palestra, espera elevador, encontra o lugar, se acomoda na cadeira, etc. Eis que um funcionário do evento entra na sala e pergunta se vou assistir à palestra. Vou. Então pode por favor esperar lá fora? Claro, desculpa, ontem a gente estava entrando na sala direto. Sai da sala. Eu e mais uma advertida formamos nossa fila de 2 pessoas. Alguns minutos depois, quando sai da imersão do celular, percebi…Continue a ler “#Cultura: porque alinhar expectativas é importante”

Cá estamos nós: mulheres e agilistas. Acho incrível ver que as minas são presentes e esse grupo só cresce. Falar da rotina de mulheres que trabalham com agilidade pode ser no mínimo complicado. Além do machismo que por si só oprime e desqualifica mulheres que trabalham em qualquer função – com salários mais baixos, menores chances de promoção, a necessidade de trabalhar o triplo ou então ser bonita e simpática para ter o mesmo reconhecimento do homem – existe o agravante de o universo da tecnologia ser majoritariamente masculino….Continue a ler “Como o slack me fez pensar sobre a presença feminina no meio ágil”